03/11/2007

Manifesto

Pediste o que não quiseste dar
o que não podias dar
tenho que viver com essa culpa?
(se não pude ser mais)

até que ponto irá a culpa
culpa que fere
culpa pela morte dos mortos
e pelo estado dos vivos
(se não pude dar mais)

Culpa pela falta do derradeiro carinho
do derradeiro gosto de ti
do sempre estive aqui, se sempre estive
se não estive ou não sabia
se estava e não sabia
ou se não sabia
(pela ignorância)

Culpa que cansa
ter que esmiuçar e explicar tudo
se não culpa culpa culpa
culpa tudo
se não quero ter que dizer nada
(pelo cansaço)

Culpa complexa
que no momento nos culpa e no tempo desculpa
Não quero sentir a desculpa
pois tenho culpa
(pelo argumento)

Onde estarão os culpados pela minha ferida
Os culpados da minha culpa?
(da culpa que morre solteira)

Culpa desta culpa não ser passional...
Ser muito mais culpada do que isso.
(pelo desinteresse)

Em última análise
sou culpada pela minha culpa
culpada por não saber desculpar
e não saber desculpar-me
(pela culpa)

3 comentários:

vash disse...

Brilhante. Gostei mesmo muito do poema, o jogo de palavras, o jogo de sentimentos. Excelente!

(temo que o comentário não seja suficiente para expressar o quanto gostei do poema, mas não pude ficar indiferente... e sim o tempo desculpa)

*

malukinha d'arroios disse...

stela, não sei porque comentaste o post, anterior... por sorte reparei nele, tenho que activar o mail dos comentarios.

os teus textos são muito interessantes, especialmente aquele, "não te esqueças que partiste comigo para a guerra"

dedicado é, a alguem,de certo, porque a mim,,,nunca poderia ser... eu estou completamente só na minha na minha guerra... só,...mesmo só... excluindo algumas palavras de conforto de alguns amigos, continuo a minha lutam com ou sem culpas, mas pela verdadem só assim se atinge uma paz de espirito, em que depositamos anseios e projectos, que já vou conseguindo prespectivar...

quanto ao nick, a
frontalidade existe, porque há, tantas loucas e loucos por aqui, a mim parece-me que sou a unica com avaliaçães psicologicas feitas, que abonan a ninha sanidade mental,por isso louca ou maluquinha..., mas com um grande propósito, a cumprir...sempre seguindo em frente,até encontar o caminho que me dará paz de espirito, que necessto.


abracinho

malukinha d'arroios disse...

Stella


des_culpa...

Confesso que fiquei "amarrada", a este jogo, de culpas e desculpas... que tão bem descreve, um turbilhão de sentimentos e emoções... olha,
mem tenho mais palavras para descrever o quanto gostei...

na minha opinião, foi das melhores coisas que li ultimamente.

abracinho