15/11/2007

Mil Nomes e Nenhum Era o Meu...

Deste-me mil nomes
nenhum era o meu
os de santa, os de ímpia
nenhum foi o meu

Mil nomes, biliões de possibilidades
impossíveis
pois se nenhum era o meu...

Mil nomes e nenhum era o meu
não era de mim que o meu nome saía
Mil nomes de juízos de mim.

6 comentários:

Rui Caetano disse...

Os nomes são importantes para a nossa marca.

Stella Nijinsky disse...

Oi Rui!

Sim são! O nome que carregamos diz tudo sobre nós: para nós, claro.
Daí o problema: não sabermos o que o nome do outro carrega e, ao tentarmos saber, ser difícil acertar no seu nome se não o soubermos.

Podemos acabar a chamar-nos coisas erradas uns aos outros.

Obrigada!

Stella

malukinha d'arroios disse...

fascinante,


a mim tb me deram e continuam a dar mil nomes... mas eu costumo dizer rótulos...

chamem-me tudo, porém... o que interessa é o conteudo... e esse não é para toda a gente...

....

Stela, ai isso sou...

frontalidade é um dos meus defeitos..., logo na primeira audiencia, quase era presa...

estou deserta, que acabe no dia 14/12, esteja eu, onde estiver... toda a gente vai saber o que se passou...

obrigada

Subterranian \ Ultravioleta disse...

"Thou art thyself, though not a Montague.
What's Montague? It is nor hand, nor foot,
Nor arm, nor face. O, be some other name
Belonging to a man.
What's in a name? That which we call a rose
By any other word would smell as sweet."

Shakespera - Romeo and Juliet

Stella Nijinsky disse...

Oi ST/UV,

É sempre bom ter-te-vos por aqui!
Obrigada pelo trecho, nomes que carregaram demasiado, pessoas que não conseguiram fugir aos seus nomes, nomes de desgraça...

Beijo,

Stella

nana disse...

nem era de ti que meu nome me vinha....



..




x