09/11/2008

Catarina


O seu perfume, algo que Deus nos quis deixar, como é tão bela, bela como o amor que governa o mundo,
- e eu que não fui digno
do belo amor, eu que não soube esperar…
Haverá um tempo para cada coisa nesta vida?
Ou há coisas para as quais nunca chega o tempo, ou que ficaram nele perdidas, por acabar?
Aperto as mãos como se fosse agarra-la, sinto-a escapar na corrente que a arrastou, e eu tão longe e a querê-la minha, Catarina.

5 comentários:

heretico disse...

beijo... belo e intenso.

~pi disse...

barcos que se afundam

( adeus demasiado

lento,




beijo

rosasiventos disse...

agora folha agora[esquecer perder-se de entrar





ABRAÇO

nana disse...

stella....



um tanto abraço.



mais forte
que a corrente.



..




x

vida de vidro disse...

Belo, amiga. Um texto muito sentido. **