02/01/2008

Cuide-se Quem Amou

Olhei aquela imagem
que tudo significava pra mim
de costas de cabelo negro e crespo
mãos cor de marfim.

Disse-me que se lançaria à água
fria do mês de Janeiro
com calma imensa, sem mágoa
o corpo por inteiro.

Vi-a do cimo do monte
cheio de cheiro a alecrim
doce embalo donde
se levou até ao fim.

Não procurei detê-la
sua vontade era concreta
Fiquei apenas a vê-la
nadar para a morte certa

Assim contou a sua história
finda como os passos em frente
e guardei-a na memória
para contar a toda a gente.

Cuide-se quem amou,
Cuide-se quem amou.

Sem comentários: