28/06/2008

Por Uma Graça Tua

Por uma graça tua
por uma luz agora antiga
o pranto da noite sem lua
desolo sem despedida

por um momento de ternura
sem dó, nem penas
nem rostos de guerras,
o condeno da clausura

por uma graça tua,
o que corri,
por uma graça tua
fui-me vestindo das formas da vida
e sem saber estava nua.